Permita-se

A palavra sentimento é definida no dicionário pelo ato ou efeito de sentir, mas na prática não é tão simples, o sentir pode ser difícil, complicado e estigmatizado pela sociedade, seja por uma timidez, por medo da rejeição ou por achar que seus sentimentos não valem tanto quanto do outro. É comum em processo de terapia as pessoas ocultarem seus sentimentos pelo medo de estar sobrepondo suas preferências na frente de outras pessoas, assim, começam a comparar o que sentem com o que o outro sente, como se colocasse em uma balança para ver qual sentimento tem um peso maior, o ganhador tem o direito de falar sobre isso e o outro precisa se anular e muitas das vezes é orientado pelo senso comum a “não reclamar da vida”. Quando vivenciamos essa situação temos um grande problema, para enfrentar um medo, uma dúvida, um desafio ou promover uma mudança em nossas vidas, precisamos antes conhecer e sentir, o processo do conhecimento e aceitação, que são fatores importantes para lidarmos com as questões da vida.

Para o sentimento, é necessário se permitir sentir, olhar para si mesmo, sem comparações, sem medos e sem percepções limitadas dos outros, mas permitir sentir a tristeza, a solidão, alegria, a vontade, o desejo entre tantos outros sentimentos, quando a gente se permite sentir, conseguimos entender a verdadeira profundeza daquele sentimento e trabalhar com isso, é como uma praia em um dia ensolarado, só vamos saber se a água realmente está quente se nos permitir encostar na água, colocar o pé, sentir, sentir e sentir. Quantas vezes você se ocultou frente alguma situação de mágoa, de questionamento, decepção ou até mesmo de felicidade para não machucar o outro? Deixando de partilhar como você se sente para não incomodar ou afetar o outro? Todos os pontos abordados nesse texto são uma forma de autocuidado, se priorizar frente algumas situações não necessariamente é egoísmo, mas é uma forma de mostrar que você também tem sentimentos, queixas e precisa de um abraço, de uma palavra, de um contato e liberar o que estar engasgado dentro de você.

A falta do falar e consequentemente o guardar em excesso pode provocar distúrbios mentais, o que vai ocasionar em um novo problema. Falar sobre sentimentos é um hábito, que pode e deve ser trabalhado, o profissional da saúde mental, psicólogo(a) pode auxiliar nesse processo e consequentemente o paciente perceberá mudanças em outros pontos da sua vida, como estresse, frustração, prejuízos cognitivos, sociais e até insônia. 

Considerações finais:

Objetivo desse post é mostrar e relembrar o quanto seus sentimentos são importantes, válidos e necessários, a falta de liberação, conhecimento e entendimento deles pode causar outras emoções e problemas maiores, se você sente a necessidade de falar, se você quer se permitir sentir, agende uma sessão, vamos conversar!

Daniella Macedo Borges
Psicóloga – CRP 06/164488

Psicólogos

Eric Heibel

CRP: 06/164529
Psicólogo Clinico
Atendimento de adultos e adolescentes

Daniella Borges

CRP: 06/164488
Psicóloga Clinica Comportamental

Contato

Entre em contato conosco e agende uma conversa.